sexta-feira, dezembro 02, 2011

Retrospectiva 2011 - RPG Nacional



Dezembro chegou, que maravilha, o período das festas, das férias, das confraternizações, o período em que a falsidade aumenta. Esse mês irei tentar fazer breves retrospectivas sobre os principais assuntos que falo no blog, ainda não sei quantas serão, tenho que analisar ainda. Essa é a primeira, sobre RPG! Curtam aí.


2011 definitivamente foi o ano do rpg nacional. Pode ter existido na história desse país períodos com tiragens maiores de livros, eventos "maiores" sobre o hobby, mas creio que nunca tivemos uma variedade tão grande de sistemas nas nossas prateleiras. 

Nos anos 80/90, os sistemas que dominavam eram D&D, GURPS e o Mundo das Trevas. Basicamente não tínhamos uma variedade tão grande.

Esse ano foi diferente, vamos contar rapidamente: Temos 4 rpgs distintos pela Retropunk, 5 pela Jambô, 2 pela Secular Games e 2 pela RedBox. São nada menos do que 12 sistemas diferentes!!! 13 ambientações diferentes, 13 estilos de jogos diferentes!!! E isso porque não contei os 3 sistemas da Devir, nem os livros-jogos da Jambô.


Ano Movimentado

O ano já começou com um belo rebuliço causado pela Secular Games com o concurso, Faça Você Mesmo de Criação de Jogos. O objetivo era simples, oferecer ao criador do melhor jogo de rpg uma oportunidade de publicação pela editora. Os jogos foram os mais diferentes possíveis, tinha rpg para todos os gostos.

Não obstante a Secular Games também lançou no início desse ano o Busca Final, do Giltônio Santos e do Richard Garrel, um rpg narrativo que utiliza um sistema baseado em cartas de baralho. Por aqui só havia passado um sistema desse tipo, o extremamente elogiado Castelo Falkenstein.

Rpg indie nacional e de qualidade!

Essa editora surpreendeu também ao ter a excelente iniciativa de por em prática a primeira campanha de financiamento coletivo voltada para o rpg do Brasil, com o promissor jogo, o Violentina, do Eduardo Caetano voltado para aventuras no melhor estilo dos filmes do Tarantino!  100% nacional!
Muita gente achava que esse tipo de campanha não teria sucesso no Brasil, o consumidor daqui é taxado como oportunista e amarrado muitas vezes. A campanha do Violentina, provou o contrário, não só foi bem sucedida, como conseguiu arrecadar o esperado antes do prazo chegar ao fim. E mais que o dobro do desejado, no final.

Jogo muito promissor!

2011 foi um ano diferente para o rpg. A Retropunk nos presenteou com 2 sistemas incríveis, o Fiasco e o 3:16 - Carnificina entre as Estrelas. Fora o sucesso que o Rastro do Cthulhu tem tido desde o 3º trimestre do ano passado.

Sou doido por esse jogo!
Sou curioso para conhecer esse aqui.

A editora ficou conhecida como: Metralhadora Indie de RPGs. E faz "jus" ao título anunciando os mais diversos jogos como futuros lançamentos, por exemplo o Little Fears, Espírito do Século, Diáspora e Este Corpo Mortal. 

Pensando bem, talvez o ano de 2011 tenha sido o ano do rpg indie. O ano em que editoras como a Retropunk e a Secular Games abriram as portas do mercado nacional para esse tipo de jogo. 

Outra coisa que chamou bastante atenção foi um novo rpg totalmente brazuca, o Terra Devastada. Escrito pelo autor John Bógea e publicado pela Retropunk. O rpg foi o primeiro a ser lançado por aqui com a temática de sobrevivência ao apocalipse zumbi. Muito bem aceito pela comunidade rpgística brasileira, e colocou o autor no mapa do mercado nacional. A Retropunk já confirmou que irá publicar um outro jogo criado pelo cara, Abismo Infinito. 

Outro rpg nacional de qualidade!

A RedBox também surpreende e lança o Shotgun Diaries, do John Wick, um rpg gringo sobre sobrevivência ao apocalipse zumbi. Só que a editora não apenas lançou o produto, ela o aprimorou. Não alterou as regras do sistema, mas acrescentou uma série de assessórios ao jogo, enriquecedores aliás. Provocou uma bela correria na pré-venda do mesmo, visto a quantidade limitada da versão de luxo do jogo. E ainda está promovendo um pequeno concurso para eleger o futuro cenário do sistema Old Dragon. 

É muito bom!

O rpg indie esse ano veio para ficar! Definitivamente!


E as outras editoras?

Não só tivemos lançamentos de rpgs indie, a Jambô e a Devir também tiveram seus lançamentos. Uns mais secretos que os outros.

A editora Jambô lançou praticamente 1 produto para cada sistema da casa. Tivemos A Expedição a Aliança Negra, o Bestiário de Arton e o Escudo do Mestre para Tormenta RPG, Sangue em Ferelden para Dragon Age, Mecha e Mangá para Mutantes & Malfeitores e nova edição d'A Mais Longa das Noites para Reinos de Ferro . Isso sem contar os livros-jogos que sairam esse ano. 


Um dos grandes lançamentos para TRPG.
Não pode faltar na sua coleção.
Ainda irei conhecer os Reinos de Ferro.
Um dos jogos que mais gosto!
Já garanti o meu!

Vale salientar também que esta editora não trabalha apenas com livros de rpg, tivemos o lançamento de 5 edições da revista Dragon Slayer ( a única revista impressa de rpg do país!), o lançamento do mangá Ledd, passado no cenário de Tormenta RPG e o livro do Leonel Caldela (Deus Máquina). Ou seja, foi bem corrido para a Jambô também.

Já a Devir, lançou para D&D 4E, os Guias de Campanha e do Personagem de Forgotten Realms. Para Vampiro - Réquiem, lançou Vampiros: Manual de Conversão. Para Mago - O Despertar, lançaram o Escudo do Narrador. É, a Devir lançou pouca coisa relacionada a rpg, mas ela trabalha com outras linhas de produtos também, deve ter dado prioridade a elas não à esse hobby.

Foi lançado e pouca gente ficou sabendo.
Desse aqui mais pessoas estavam sabendo.
Quero muito jogar esse jogo aqui também.
O último lançamento do ano!


Conclusão

Penso que dos últimos anos do rpg no Brasil esse foi o ano mais movimentado. Tivemos muitos lançamentos diferentes, tivemos a revelação de novos autores, e os praticantes do hobby conseguiram mostrar que estão querendo muito um mercado variado e que não tem preconceito relacionado a produtos nacionais (visto o sucesso do Violentina, Terra Devastada e Old Dragon). 
O consumidor influenciou  tanto o mercado nacional que a Devir vai trazer ano que vem o novo rpg do Senhor dos Anéis, o One Ring. 
Bem como estimulou a criação de uma outra editora independente a Bárbaras Magias que já pretende trazer 2 lançamentos para o ano que vem, o Bárbaros de Lemúria e o Atomic Highway. 
A Retropunk ainda esse ano pretende lançar o Este Corpo Mortal num esquema semelhante ao Shotgun Diaries. Ou seja, teremos pacotes diferenciados com vários apetrechos para os jogadores. Fiquem atentos para a pré-venda, até hoje me arrependo de ter perdido a edição limitada, capa dura e colorida do Rastro do Cthulhu!

Encarne o Conan!
Acho que esse vai ser um jogo bem diferente.
Pelo que vi, esse jogo será muito bom!

Em 2012 penso que teremos bem mais lançamentos de rpgs indie. Não só isso, creio que a Jambô terá muitos lançamentos para os seus sistemas, como a nova versão dos Reinos de Ferro. Os últimos lançamentos da linha Mutantes & Malfeitores 2ª Edição. E novos lançamentos para Dragon Age e Tormenta RPG.

Promete!!!
Ansioso por esse.
Interessante demais esse!

Também não posso esquecer que a editora Daemon voltará a lançar suplementos impressos. Ou seja, teremos que ter bastante dinheiro para gastar!

2011 foi marcante por ser o ano em que a onda indie do rpg invadiu o mercado nacional e caiu no gosto do público. Desejo que 2012 seja tão marcante, ou mais, que 2011 pela enxurrada de lançamentos que teremos das nossas queridas editoras!

Que venha 2012!!!

4 comentários:

* Andhora Silveira * disse...

Quando li "RPG Nacional", eu pensei que você iria tratar de produções puramente nacionais... a grande maioria aqui são traduções, com exceção dos títulos de TRPG... e talvez alguns aqui que eu não saiba. xD

Acho que umas das grandes descobertas pra mim nesse ano foi The Shotgun Diaries sem dúvida... é uma excelente aventura e trabalha com um sistema bastante simples.

Muito boa sua retrospectiva :)

Wesley Prado disse...

Bob, vale atualizar o post no trecho em que se diz que Este Corpo Mortal sairá via financiamento colaborativo. Guilherme, editor da RP, já decidiu que será em sistema de pré-venda, como já estava fazendo com os lançamentos anteriores da editora, e deve sair ainda essa semana. Assim como Shotgun Diaries, terá pacotes diferenciados, com vários apetrechos para os jogadores. :)

Bob Mota disse...

Andhora, é verdade acho que o título ficou um pouco ambíguo. Eu quis me referir basicamente ao mercado brasileiro de rpg de mesa. Com relação aos lançamentos puramente nacionais (fora o Tormenta RPG) temos o Terra Devastada, Violentina, Old Dragon e Busca Final.

E Wesley, obrigado pela dica. Já atualizei!

Danielfo disse...

Acho que o título ficou bem chamativo e a matéria ficou ótima.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...